segunda-feira, 28 de julho de 2014

Eu te dou a minha paz, eu te deixo em paz.

Como relatei no post anterior, eu estava com aquela sensação de que deveria dizer ao meu avô que eu perdoava ele.
Fui para a casa dos meus pais no dia 19/07 e na terça dia 22/07 fui a casa do meu avô, ele estava mal, no oxigênio, enfim, 19 anos de cama, ele não me reconhecia, mas eu falei pra ele: "vô vai em paz, eu te perdoo e quero teu bem". Só.
Cheguei hoje cedo as 06hs em Porto Alegre, as 07hs meu pai me ligou dizendo que meu avô tinha falecido.
Depois disso sonhei com ele, ele me perguntava por que eu tinha perdoado ele, ele não lembrava o que tinha feito pra mim, e eu lembrei ele que não ele não tinha exatamente feito nada de ruim, mas que tinha me magoado muito, e que essa magoa, eu deixei pra lá.
Hoje, desejo vô Bruno, que tu tenha paz, acredito que tu tenha pago tua dívida aqui já, nesses teus 19 anos na cama, e espero que tu seja luz.